Centenas de ciclistas barrados em tentativa de descida coletiva a Santos

Bicicletada Interplanetária saindo de são Paulo
Ciclistas saindo de São Paulo,
rumo à Rodovia dos Imigrantes
Foto: Rodrigo Navarro

Em 6 de dezembro de 2008, centenas de ciclistas combinaram uma descida coletiva de São Paulo a Santos pela rodovia dos Imigrantes através de listas de e-mails, blogs e redes sociais.

A intenção era utilizar a estrada de manutenção, para não precisar utilizar os trechos de túneis sem acostamento, exercendo o direito de circulação de bicicletas em estradas, garantido pelo Código de Trânsito Brasileiro desde 1997.

A Ecovias (que de Eco só tem o nome, já que só permite veículos poluentes utilizarem suas estradas) solicitou à Polícia Rodoviária que impedisse a descida. Isso fere o art. 58 do cód. de trânsito.

A desculpa dada é que a estrada não oferece condições de segurança para bicicletas. Isso fere o art. 21. do código de trânsito, principalmente por já terem reformado a via tantas vezes e construído novas pistas.

Centenas de bicicletas em direção ao litoral
Centenas de bicicletas em direção ao litoral,
sob a vigilância da Polícia Rodoviária.
Foto: Rodrigo Navarro

Centenas de bicicletas se dirigiam ao litoral. Pacificamente.

Houve bloqueios da Polícia Rodoviária. Algumas pessoas foram ficando nos bloqueios, outras contornaram pacificamente, aos poucos, e continuaram, como a água escorrendo por frestas de uma pedra.

Novos bloqueios. Mais pessoas ficando para conversar com os policiais, outros passando.

Não havia base legal para segurar os ciclistas. O art. 58 do cód. de trânsito permitia sua passagem. A Artesp (responsável pela fiscalização dos serviços prestados pelas concessionárias de rodovias) havia informado através de sua ouvidoria que o tráfego de bicicletas é permitido na Imigrantes (protocolo 104711). Mesmo assim eles foram sendo barrados. Alguns foram ficando com o saco cheio das arbitrariedades e foram voltando para casa.

O argumento utilizado pela polícia para impedir a descida era que por volta do km 40 há uma placa de proibido bicicletas (R-12). Também utilizaram como argumento uma legislação de 1950, que foi substituída pelo CTB. Ou seja, não havia base legal para impedir a descida, mas como convencer um policial disso, principalmente se ele tem suas ordens a cumprir?

E, mesmo que a placa fosse um argumento sólido para impedir a passagem das bicicletas (quem manda é a placa ou é a lei?), não havia base legal para impedir a passagem das bicicletas até o km 40, já que elas trafegavam pelo acostamento como manda a lei.

Efetivo
A Polícia Rodoviária considerou
importante deslocar um grande efetivo
para impedir que os ciclistas
usufruissem da rodovia
Foto: Macaco Véio

A Ecovias e a Polícia Rodoviária divulgaram informações aos órgãos de imprensa ao longo do dia, dizendo que os ciclistas é quem estavam causando lentidão no tráfego na estrada (como, se utilizavam o acostamento?) e que 40 pessoas haviam sido detidas. Só se estavam se referindo às pessoas impedidas de descer, porque ninguém foi realmente “detido” (levado para uma delegacia ou coisa que o valha).

A Ecovias erra em não fornecer segurança para que a descida possa ser feita a pé ou de bicicleta. A Ecovias age contra a lei quando impede a passagem das bicicletas e dos pedestres.

Renata Falzoni na Bicicletada Interplanetária
Renata Falzoni, cicloativista “das antigas”, também estava lá, lutando por nossos direitos e documentando o ocorrido com sua inseparável câmera
Foto: Rodrigo Navarro

E, principalmente, a Ecovias perdeu uma excelente oportunidade de se pintar de verde. Se tivessem feito uma escolta e permitido a passagem, com o discurso que assim que possível tornariam a via segura também para as bicicletas, teriam ganho muito em imagem.

Impedindo as bicicletas de trafegar e permitindo apenas veículos a motor, permanece a impressão de que a Ecovias é “dona” da estrada (em vez de ter uma concessão da estrada pública) e que só deixa passar quem é economicamente viável. Se os ciclistas voltassem e pegassem um carro, que paga pedágio, poderiam passar. Se voltassem e embarcassem em um ônibus, que paga pedágio, poderiam passar. Se pudesse, a Ecovias proibiria até as motos.

Quinze dias antes, a Bicicletada foi até Ubatuba. Um caminho bem mais longo, passando por duas estradas diferentes, sem problema algum no caminho. Pelo contrário, a Polícia Rodoviária até nos escoltou para nos ajudar em um trecho onde a rodovia tinha muitas saídas… Sempre que passávamos por eles, nos cumprimentavam com um sorriso e incentivavam nossa viagem. Não tivemos nenhum problema.

Mas a Polícia Rodoviária da Imigrantes não permitiu a passagem das bicicletas.

Relatos de participantes dão conta de que teria havido uma liberação oficial no final da tarde, que beneficiaria os últimos resistentes que se recusavam a voltar. Entretanto, por uma decisão pessoal do oficial responsável pela ação no momento, a liberação não teria sido levada a termo. Mais informações assim que os relatos começarem a pipocar pelos blogs dos participantes e apoiadores. Muitos fizeram relatos em vídeo, inclusive a Renata Falzoni. Aguarde novidades.

A massa foi impedida de descer. Dessa vez. Os ciclistas continuarão tentando exercer seu direito. A lei permite a descida e a Ecovias tem obrigação legal de permiti-la e torná-la segura, seja um evento com 400 ciclistas ou um viajante solitário. As bicicletas passarão.

Repercussão na mídia

Saiba Mais
Só quatro ciclistas conseguiram completar “bicicletada” até Santos, O Globo
A matéria com a maior correção dentre todas publicadas. Segundo essa matéria, a justificativa da polícia é que a descida era um “evento” e por isso precisava de comunicação prévia. Então evento pode, mas descer sozinho não. Mesmo a lei permitindo. 

Matéria na TV Record
Informações corretas, porém com a informação fornecida pela dona da estrada Ecovias de que os ciclistas “não pediram autorização para usar a estrada”. A autorização está no CTB e foi confirmada pela Artesp, portanto a Ecovias não precisa concedê-la e os ciclistas não precisam pedi-la. Como se eu fosse conseguir da Ecovias uma autorização caso quisesse descer agora, sozinho, exercendo meu direito…

Grupo de ciclistas desce a Imigrantes e mobiliza polícia, G1
Foi a matéria com a maior correção dentre as que foram divulgadas enquanto os fatos aconteciam. A única informação incorreta da matéria foi fornecida pela Ecovias, claro: os ciclistas não podiam descer porque não pediram autorização para trafegar na estrada. O CTB deu essa autorização e a Artesp a confirmou.

BOL, UOL (Maplink), Folha
A mesma notícia saiu em vários lugares, com as informações fornecidas pela dona da estrada Ecovias e pela Policia Rodoviária de que os ciclistas é que causavam lentidão na Imigrantes e de que 40 pessoas haviam sido detidas. Na realidade ninguém foi detido e os ciclistas estavam todos no acostamento, não sendo responsáveis pela lentidão. 

Grupo de ciclistas tenta descer a serra e causa lentidão de 16 km na Imigrantes, O Globo
Apesar do título colocar a culpa da lentidão nos ciclistas, o texto explica: as bicicletas amontoadas no acostamento despertaram a curiosidade dos motoristas, que praticamente paravam os carros para tentar descobrir o que estava acontecendo. Tá aí: quem causou a lentidão foram os próprios motoristas. Em um entendimento mais amplo, quem causou a lentidão foi a ação da Polícia Rodoviária e a intransigência da concessionária Ecovias.

Lentidão causada por ciclistas e curiosos sobe para 16 km na Imigrantes, O Globo
Outro título colocando a culpa da lentidão nos ciclistas, com o texto explicando que “a lentidão é reflexo da curiosidade dos motoristas que passam pela região”.

E a Bicicletada chegou na praia
E, apesar de tudo, a Bicicletada chegou na praia
Foto: Macaco Véio

Relatos, fotos e vídeos
Saiba o que aconteceu pela ótica de quem estava lá

Aninha: Relato com fotos 

André: Relato com fotos

XpK: Relato e Fotos

Bruno Gola: Fotos

Mais relatos, fotos e vídeos na página oficial.

Rodrigo Navarro: Fotos 

Se Locomovendo na Selva de Pedra: Vídeos

Macaco Véio: Fotos

Vários vídeos no Youtube


11 comentários para Centenas de ciclistas barrados em tentativa de descida coletiva a Santos

  • Leonardo Lino de Campos

    A placa prevalece sobre a lei. O CTB diz, essencialmente, que deve ser feito o que a lei manda, a não ser que haja uma placa indicando que deve ser feita outra coisa. Exemplo: o CTB diz que, em avenidas, a velocidade máxima permitida é de 60 km/h. Mas, se houver uma placa indicando que ele é de 40 km/h, o limite é de 40.

    …por mais que eu adore andar de bicicleta, também não dá pra sair desobedecendo a sinalização sem mais nem menos. Com que cara ficam os ciclistas quando exigem que os automóveis mantenham a distância mínima, quando eles (ciclistas) não param no sinal vermelho?

    Desobediência civil (desobedecer a lei para se fazer valer um direito) é algo que só se faz quando os meios democráticos não funcionam. Vocês já procuraram o Ministério Público para pedir que proponha uma ação civil pública para exigir que a Ecovias adapte a estrada para ciclistas, ou já pensaram em criar uma associação para esse fim?

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Como foi a Rota Márcia Prado 2010 | Vá de Bike!

    […] dessa forma do que nos impedir de passar, tudo bem, vamos lá. Bem melhor isso do que a recepção que tivemos em 2008. E devo admitir que foi bem mais seguro do que deixar os ciclistas, nem todos tão experientes, […]

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • + Vá de bike! + - A bicicleta como meio de transporte no país do automóvel » Ghost Bike de Manoel Pereira Torres

    […] aberta permanentemente. Hoje os ciclistas não têm nenhuma opção para chegar ao litoral, são totalmente proibidos, uma violação de direitos flagrante e impune. A Ecovias, concessionária que se acha dona das […]

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • gerson papis

    Ola, boa tarde. Estou indignado com o desrrespeito ao ciclista brasileiro, estamos sendo empedidos de trafegar livremente, seja de bicicleta ou patins ou skate.

    Precisamos nos unir e fazer um abaixo assinado para exigirmos poder ir dar a volta no país de bicicleta se quisermos.

    Obrigado

    Gerson

    Thumb up 3 Thumb down 0

  • Mais boas matérias na mídia tradicional | + Vá de bike! +

    […] mídia tradicional (tv, jornais, revistas), todo mundo já sabe. Principalmente quando se trata de eventos polêmicos ou manifestações populares, é muito mais fácil encontrar informações detalhadas na nova […]

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Pedalada Pelada - O que a mídia não mostrou | + Vá de bike! +

    […] parecer bobagem confirmar que essa declaração corresponde à realidade, mas já houve manifestações onde a imprensa divulgou dezenas de prisões quando na realidade não havia ocorrido […]

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Descida a Santos: nova tentativa | + Vá de bike! +

    […] semana anterior, os ciclistas paulistanos fizeram uma tentativa de descida a Santos, em que tiveram que engolir diversas desculpas esfarrapadas para que a lei fosse […]

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • O prejuízo causado pela Ecovias | + Vá de bike! +

    […] na Rua fez o cálculo do prejuízo causado pela teimosia ilegal da concessionária Ecovias, ao impedir centenas de ciclistas de trafegar na Rodovia dos Imigrantes no ano passado, no evento que ficou conhecido como […]

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Fabiano

    Coloquei um link pro seu site na página da Interplanetária.
    Abraços

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Aninha

    Adorei o seu também!!!!! Bjs

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Victor Gollnick

    Sacanagem

    Thumb up 1 Thumb down 0

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>