Cuidado com as portas dos carros parados

Mantendo distância dos carros parados, você evita acidentes com os distraídos que abrem a porta sem olhar

O motorista abriu a porta totalmente, empurrando-a com o pé, sem me ver passar. Ele abriu tão rápido e tão sincronizado com o momento em que eu passei, que levei o maior susto! Ainda bem que não passo rente aos carros parados e deixo sempre um espaço de pelo menos um metro, mesmo que outros motoristas reclamem que estou “no meio da rua”. Se eu estivesse pedalando um pouco mais perto dos carros estacionados, teria me estabacado na porta e caído no meio da rua.

“UOOOOoooouuu… Quase, hein!!” – gritei para o distraído, enquanto tudo acontecia. Ele certamente ouviu e percebeu, mas terminou de sair do carro fazendo de conta que nada tinha acontecido e que ainda não estava me vendo. Creio que por vergonha, já que a rua estava cheia de gente e todo mundo ficou olhando. Pelo menos ele percebeu e talvez na próxima vez tome mais cuidado antes de abrir a porta.

Código de Trânsito Brasileiro obriga a olhar antes de abrir a porta

“Art. 49. O condutor e os passageiros não deverão abrir a porta do veículo, deixá-la aberta ou descer do veículo sem antes se certificarem de que isso não constitui perigo para eles e para outros usuários da via.

Parágrafo único. O embarque e o desembarque devem ocorrer sempre do lado da calçada, exceto para o condutor.”

Dicas para o ciclista urbano

1Como se manter seguro

2Pedalando para o trabalho (vídeo)

3Não pedale na contramão

4Ocupe a faixa

5Cuidado com as portas

6O que diz o Código de Trânsito

710 dicas para os dias de chuva

8E se a empresa não tem chuveiro?

97 truques para as subidas mais difíceis

107 dicas para pedalar de madrugada

11Medo de pedalar nas ruas?
Chame um Bike Anjo!

Um acidente real

Já levei uma portada uma vez, no início de 2001. Estava pedalando com um amigo que ia à minha frente e, assim que ele acabou de passar pelo carro parado, o motorista abriu a porta entre nós dois. Não houve tempo para nada: o guidão bateu na lateral da porta, a bicicleta virou de lado e eu aterrissei no meio da rua, batendo com o joelho no asfalto.

Por sorte a rua estava tranquila naquele momento. Se eu caísse em frente a um carro que estivesse passando por ali, mesmo em baixa velocidade, eu poderia não estar escrevendo para o Vá de Bike hoje.

Tentei levantar, mas não consegui firmar a perna e caí de novo. Levei alguns minutos para superar a dor no joelho e ficar de pé. Depois disso ainda consegui pedalar devagar até em casa, que estava a mais ou menos um quilômetro dali, por sorte sem nenhuma subida. No dia seguinte, mal conseguia andar; subir escadas então, nem pensar. Fui a um ortopedista, que diagnosticou que eu não havia quebrado nada e que não era muito grave. Mas fiquei ainda uns quinze dias sentindo dores e sem conseguir pedalar.

Claro que na hora em que tudo aconteceu fiquei morrendo de raiva. Minha vontade era de “descer o braço” no irresponsável que abriu a porta daquele jeito, olhando para dentro do carro enquanto a esticava até o final. Mas o que isso iria mudar?

O rapaz ficou super preocupado, queria me levar para o hospital e pediu mil desculpas. Não foi de propósito e ele visivelmente se arrependeu. Me ver ali caído por culpa dele foi lição suficiente, dava para ler isso em seus olhos. Depois disso, nunca mais deve ter aberto a porta sem olhar.

Ele certamente aprendeu sua lição. E eu a minha.

Como evitar as portadas

Quem leva uma portada dessas nunca mais esquece. E foi lembrando dela que escrevi parte destas dicas, que recomendam ocupar a faixa e manter distância dos carros estacionados, mesmo que alguns motoristas não entendam e reclamem. E foi justamente essa recomendação que me salvou no dia daquele primeiro relato lá de cima (e tantas outras vezes, algumas das quais nem me dei conta).

E uma dica adicional: iluminação dianteira ajuda bastante a evitar esse problema, já que à noite os motoristas buscam uma luz se aproximando para saberem se podem abrir a porta. Mas tem que ser branca, para que essa pessoa saiba que você está vindo em sua direção, e piscante, para que consiga chamar atenção mesmo tendo uma intensidade luminosa muito menor que a de uma moto.

Recomendo também a leitura deste post sobre o assunto, do excelente blog chileno Ciclismo Urbano (em espanhol).

E você, já levou uma portada? O que tem feito para evitar?

O vídeo abaixo, do Ciclista Capixaba, mostra alguns exemplos do que pode acontecer se você pedalar perto demais dos carros parados.


49 comentários para Cuidado com as portas dos carros parados

  • Marcel

    Já aconteceu comigo, tentei desviar mais foi pior, bati a roda traseira e caí próximo ao centro da via. Graças a Deus o veículo que vinha atrás desviou. Levantei enfurecido mais ia fazer o que? Tive que carregar a bike pq a roda de traz travou de tanto que empenou, só senti as dores no outro dia. Detalhe, o mau carater não pagou o prejuizo. Dica: Comprem uma buzina ou apito, na dúvida não custa mostrar que você está ali.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Lilian Jeane Schiffer

    Excelente matéria, eu, infelizmente, aprendi na prática a lidar com essa situação… Ano passado (maio/2015) estava atravessando a cidade para pedalar em um lugar “mais seguro”, no final da tarde, sem iluminação dianteira, e um carro abriu a porta, não deu tempo de pensar em nada, só no “bati!”, a parte de baixo da porta travou no meu quadro, me alavancando, caí de mal jeito no asfalto, e quebrei a clavícula esquerda, tive de fazer cirurgia, ao menos o carro tinha seguro, cobriu os 15 mil reais médicos, e os 9 mil de uma speed nova. Mas no começo deste ano (2016) um amigo não teve a mesma “sorte”, a ponta da porta atingiu o seu pescoço e ele morreu no local… Foi assustador para todos, hoje em dia a maioria pedala ocupando o meio da faixa, e dane-se as buzinas e o que os motoristas pensam.

    Thumb up 3 Thumb down 0

  • Jorge Thino

    Antigamente era mais fácil evitar portas que se abrem em nossa frente porque os vidros eram transparentes e era possível ver a movimento do motorista. Insufilm só serve pra atrapalhar os outros e de se esquecer crianças dentro do carro. Sou totalmente contra a utilização desta desgraça.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Nanda Prado

    Não consigo entender o problema do Brasileiro, em especial o Carioca, em não utilizar os apetrechos q o carro oferece para uma condução segura.
    Quem é que abre a porra da porta pra sair do carro, sem olhar pro retrovisor antes???
    Conclusão, vinha eu de bike, e o fdp abriu a porta em cima de mim. Freei, mas não foi o tempo suficiente….rodopiei, caí com a bike em cima de mim e bati a cabeça em uma caçamba de entulho na rua.
    E vcs acham q o cara veio prestar ajuda? Claro q não…enqto eu estava praticamente em Marte, arriada no chão, o cara estava preocupado com a porta dele.
    Os funcionários do Sto Amaro vieram correndo, tiraram a bike de cima de mim, recolheram minha bolsa e compras espalhadas pelo meio da rua, me colocaram sentada enqto estava ainda tonta….o cara depois veio e falou: “O máximo que posso fazer é te pedir desculpas, e ficar com o prejuízo q VC me deu na porta”.
    Oi??? Eu que dei??? Brincadeira ter q ouvir isso depois disso tudo….e ainda fiquei com prejuízo de R$160,00 pq a cadeirinha do Lipe quebrou inteira….sem contar o susto e as dores q sinto agora. Torço pra q da próxima vez, seja um caminhão na porta dele, ao invés de uma bicicleta….
    Agora imagina se estivesse com as crianças???

    Alguém pode me informar se cabe processo? Consegui tirar foto do carro dele, da placa e modelo…não aconteceu nada com a porta dele.Cabe entrar com uma ação, já q estou toda machucada e a cadeirinha do meu filho quebrou em vários pedaços e fiquei no prejuízo?

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • Cícero Soares

    Putz, esse vídeo é phoda. Toda vez que vejo me dá um frio na espinha…

    Bão… eu nunca mais tive que me preocupar com isso, desde que passei a ocupar o centro da faixa (na verdade, dependendo da largura dela, até um pouco mais à esquerda) em relação aos veículos estacionados. Melhor prevenção não há, fato. Mas às vezes…

    Ainda tenho que me preocupar, e dar uma reduzida, quando percebo à frente um veículo estacionado com intenção (dando seta ou não, e isso infelizmente ocorre) de sair da vaga. Isso também me dá um frio na espinha. Pois duas ou três vezes quase me “pegaram” nessa saída (ou por causa do tal ponto cego, ou devido àquela idiotice cega de motorista que deixa engatado o “phoda-se todo mundo menos eu”). Sorte que eu estava devagar e o pior não aconteceu.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Tarantino

    Dirijo caminhão há mais de 10 anos em SP, e também já tirei várias finas de portas que se abrem. Com o tempo a gente adquire uma espécie de sexto sentido, e quase adivinha quando a porta vai abrir. No meu caso, obviamente o motorista SEMPRE leva a pior…

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • O problema é que nem toda cidade existem corredores que deem espaços para o ciclista trafegar. Eu já quase arranquei a porta de carro. Era 3:30 PM. O carro desligado com vidro escuro, é impossível ver se tem alguém la dentro, não tinha luz, não tinha nada. A rua era estreita( ruas de Angra dos reis)na minha direção vinha outro carro. Eu reduzi a velocidade, não tinha ciclo via(em lugar algum das ruas de angra tem ciclo vias) então tive que pasar na lateral, do mesmo lado que o condutor. E ma hora em que eu o estava passando ele abriu a porta. Eu pensei ou eu bato na porta dele ou me jogo na frente do outro carro. Mas por sorte deu tempo de desviar. Mas eu queria muito que um caminhão acertasse o carro dele.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Jonas

    Eu em uma subida leve pegando velocidade torci a porta de um corsinha ao contrário, tipo literalmente ao contrário eu esbagacei a porta do cara, na hora que eu vi que o cara abriu a porta eu nem se quer pensei em parar, não dava para fazer nada a não ser bater de encontro na porta usando-a para amortecer a queda. O filho da puta do carro se fodeu porque a porta não aguentou e virou, o bom é que agora ela abre 180º. hahahahaha E na minha bike só desalinhou o guidão com a roda e ralei a perna no guidão ficando um pouco vermelho. Ainda bem que o cara abriu a porta inteira, se tivesse sido só um pouco ai eu sem dúvidas estaria ferrado porque ela não iria virar e sim funcionar igual um bloco de concreto porque eu estava passando muito perto dos carros, mas ja tinha acontecido algo parecido comigo a algum tempo e eu sempre ando olhando para ver se ter alguém dentro do carro mas nesse dia o insulfilm era tão preto que não vi nada mesmo contra a luz. Na hora eu fiquei puto de raiva, mandei o cara se foder e ainda falei que ele ia pagar meus gastos com a bike, falei que ele tinha retrovisor e não pagava para olhar não… enfim “rodei a bahiana”. hahahaha Por sorte ainda aconteceu em frente a uma bicicletaria perto de casa, eu corri na hora lá para dentro e falei, para o rapaz que atendia que se ele achasse algo quebrado era para colocar uma peça de mesmo valor e me passar o orçamento. Ele deu uma olhada e falou, não só desalinhou mesmo o guidão e só pediu para segurar a roda com os pé e ele puxou o guidão e deu uma apertada no parafuso. hahahahaha O cara do carro estava lá tentando fazer a porta voltar para o lugar mas não estava conseguindo, ai eu passei e falei que não iria precisar pagar nada. Ele ainda foi educado e falou que me levaria no hospital, perguntou se machucou etc… ai a história mudou de cara de babaca espantado para cidadão, então pedi desculpas por ter falado alto e xingado ele e ficou por isso mesmo.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • valdeck

    Domingo passado, quase que eu me arrebentei. Estava indo pra ciclofaixa de Osasco quando passeio próximo a uma camionete que transporta material reciclável, quando o motorista também abriu a porta de uma vez e eu quase me acerto meu rosto na porta, ai quando expressei meu susto, ele olhou rindo e com cara de deboche. Vontade era de voltar lá e falar, mais sei que não ia adiantar, por isso deixo meu desabafo e minha indignação com pessoa que tem essas atitudes bossais.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Markus

    Hoje escapei por um fio de levar uma portada. :/

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Claudio

    Não tive a mesma sorte em desviar.
    Resultado: “Amputação traumática da terceira falange distal” ou seja, perdi um teco do meu dedo do pé direito.

    Meu pé, digo meu dedo, fico prensado entre o pedal e a porta.
    Caí no chão e me ralei todo.

    Foi em 2003 tinha pouca informação, era estudante universitário e não consegui nem que o cidadão pagasse as minhas despesas com médicos, cirurgia e etc.

    Infelizmente, a maioria dos motoristas não tem consciência dos riscos.

    Agora, procuro evitar os carros estacionados e não ando com tanta velocidade.

    Abraço a todos e feliz 2015!!

    Thumb up 2 Thumb down 0

    • Puxa, Claudio, que péssimo! Ainda bem que não foi algo ainda mais grave, você poderia ter sido derrubado em frente a um carro em movimento. Temos que tomar cuidado pelos outros. Grande abraço e obrigado pelo depoimento!

      Thumb up 1 Thumb down 0

  • Estava pedalando com um amigo que ia
    à minha frente e, assim que ele acabou de
    passar pelo carro parado, o motorista abriu a
    porta entre nós dois. Não houve tempo para
    nada: o guidão bateu na lateral da porta, a
    bicicleta virou de lado e eu aterrissei no meio
    da rua, batendo com o joelho no asfalto.
    Por sorte a rua estava tranquila naquele
    momento. Se eu caísse em frente a um carro
    que estivesse passando por ali, mesmo em
    baixa velocidade, eu poderia não estar
    escrevendo hoje.
    Tentei levantar, mas não consegui firmar a
    perna e caí de novo. Levei alguns minutos para
    superar a dor no joelho e ficar de pé. Depois
    disso ainda consegui pedalar devagar até em
    casa, que estava a mais ou menos um
    quilômetro

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Tadeu

    Tem gente que só entende o que é conveniente à sua opinião, não é mesmo? Ou é um tremendo de um Troll, só pode ser. Pelamor Aristides.

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • ARISTIDES

    GOSTARIA DE SABER : COMO AS BICICLETAS PASSAM ENTRE UM CARRO ESTACIONADO E OUTRO EM MOVIMENTO MAIS LENTO E ENTRE DOIS CARROS EM MOVIMENTO ====ESSAS SITUACOES DEMONSTRAM QUE A BICICLETA NAO RESPEITOU A DISTANCIA DE 1,5 METRO DE DISTANCIA ,,, E’ MUITO IMPORTANTE ESCLARECER ESSES PONTOS PARA OS CICLISTAS POIS CASO CONTRARIO O FUTURO DOS CICLISTAS SERA’ IGUAL A DOS MOTOQUEIROS QUE NO BRASIL MORREM MUITOS POIS PASSAM A 100 POR HORA ENTRE OS CARROS E ESSE E’ UM DOS MOTIVOS DE NAO HAVER RESPEITO . BASTA ORINTAR AS PESSOAS NAS ESCOLAS, DE PERIODO INTEGRAL, PARA APRENDEREM . SE PODEMOS TER AULA , ESPORTE E CURSO TECNICO , PODEMOS TER AULA DE RESPEITO PELOS PEDESTRES , CICLISTAS E MOTORISTAS………E’ IMPORTANTE UM CICLISTA ESPERAR ATRAS DE UM VEICULO POIS SE ELE PASSAR ENTRE OS VEIVULOS ESTARA’ DESCUMPRINDO A LEI DE FICAR A UMA DISTANCIA DE 1,5 METRO , DEVE SEGUIR AS LEIS DE TRANSITO. E’ MUITO IMPORTANTE PASSAR ESSA ORIENTACAO AOS CICLISTAS.

    Thumb up 1 Thumb down 4

  • Odilon

    Aconteceu comigo na semana passada. Uma senhora abriu a porta exatamente no momento em que estava passando. Já conhecia esse risco então sempre procurei manter uma distância segura dos carros estacionados. Mas essa senhora abriu completamente a porta do carro, e de uma vez. Embora não estivesse passando muito perto, a porta acabou pegando de raspão no meu guidão e me derrubando. Era em uma descida, estava próximo de uns 40 km/h, então fiquei com uns belos ralados, roupa e mochila rasgados. A senhora foi comigo à loja de bike mais próxima e me pagou um roupa e uma mochila de hidratação novas.
    Vale o alerta para os ciclistas e os motoristas. Ciclistas, procurem manter a distância de uma porta dos carros estacionados. Motoristas, ao abrirem a porta olhem antes no retrovisor, não abram a porta inteira, abram somente o suficiente para sair e saiam rente ao carro.
    No meu caso, se tivesse mais próximo do carro, ou se fosse um motociclista em maior velocidade, poderia ter acertado a porta do carro em cheio ou até mesmo a motorista, poderia ter tido consequências gravíssimas.
    Uma colega de faculdade, acabou tendo de pagar uma indenização de cerca de R$ 200.000,00 à família de um motociclista que se chocou com a porta de seu carro e faleceu. Ela não estava dirigindo, mas a justiça considerou que teve responsabilidade solidária, ou algo assim. Então, novamente, por favor, tomem cuidado ao abrirem a porta do carro.

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • Glauco

    Não foi de bicicleta, mas de moto, uma XLX350. Vinha na mão quando um carro que estava pouco a frente resolveu de forma abrupta virar a esquerda, estacionar em 45º e rapidamente abrir a porta, resultado, entrei com a roda da frente da moto pela porta parando no colo dele. Esse tenho certeza que aprendeu a lição.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Fernando Galvão

    Sai ileso por 3 vezes, a primeira que mais me assustou, a motorista abriu a porta sem olhar, o que me salvou foi o reflexo, até ela gritou de susto quando me viu, eu estava na mão certa e com o lanterna ligada no pisca, mesmo assim ela não me viu pelo espelho. Decidi instalar uma lanterna mais forte para aumentar minha segurança, que por fim não adiantou muito, tanto os passageiros quanto os motoristas saem de seus carros sem olhar, é preferível mesmo dar um espaço de pelo menos 1 metro, como nosso amigo lá de cima citou. As outras duas vezes que não me acertaram, uma porque eu estava bem devagar, o qual deu tempo de desviar, e a outra porque estava afastado o suficiente para a porta não me acertar. Resumindo, dar um espaço de 1 metro de distância, freios bons, mãos no freio e atenção redobrada farão toda a diferença.

    Thumb up 1 Thumb down 0

    • Não tem jeito, o ciclista é de tamanho menor e o motorista facilmente pode abrir o carro sem ver o ciclista. Até eu já quase fiz isso sendo ciclista e sabendo muito bem do problema pois aconteceu uma ou duas vezes de ser aberto uma porta de carro na minha frente mas sempre aconteceu quando eu tinha freios muito bem regulados. Parei muito rápido. Faz toda a diferença para em menos de 2 metros ou parar em 5 metros!

      Thumb up 0 Thumb down 0

  • Além disso um freio muito pode ajudar em alguns casos. Vejo tanta gente andando com freios ruins que assusto. Já usei uma vez o freio parei em poucos metros. Faz toda a diferença. Em 40 km diário na cidade e mais de 3 anos vi duas portas abrir na minha frente. Desde então, é muito mais raro me ver perto de carros estacionados!

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Ana Zaniol

    dia 08 de setembro de 2012, ao passar por um taxi que estava parado, do nada abriu toda porta, e eu estava passando neste exato momento, o motoristas abriu toda sem dar chance de desviar ou reagir, a minha bike ficou presa na porta dei um giro de 189 graus e fui jogada por cima da porta,batendo com as costas emcima da porta e jogada no meio da rua onde bati varias vezes com a cabeça, o capacete me salvou e DEUS é claro , que não permitiu que tivesse algum carro passando senão JÁ ERA !!, fui levada ao pronto socorro, tive lesoes nas costas e na mão direita e dores de cabeça por uma semana.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Erick

    Bah isso aconteceu agora a pouco comigo, estava no sentido certo pedalando tranquilo quando de repente um motorista que estava estacionado abre a porta do seu carro, no que resultou em acertar em cheio nela.
    a minha sorte é que eu nao me machuquei e nao estragou a muito a minha bicicleta, mas a porta do carro edeu uma amassada, e para variar ele ainda quer que eu pague o conserto…
    o que eu devo fazer?

    Thumb up 1 Thumb down 0

    • Erick, o Código de Trânsito está a seu favor:

      Art. 49. O condutor e os passageiros não deverão abrir a porta do veículo, deixá-la aberta ou descer do veículo sem antes se certificarem de que isso não constitui perigo para eles e para outros usuários da via.

      Quem tem que pagar seu prejuízo, caso tenha ocorrido algum, é ele. Vá com ele a um juizado especial cível e, quando chegar lá (apenas lá) tire da manga esse artigo, que mostra que quem estava errado era ele. Peça para ele pagar os danos da bicicleta. Vai acabar saindo um acordo que cada um fica com seu prejuízo (mas se você tiver paciência e quiser estender a briga, ele tem que pagar seu prejuízo). Leve notas fiscais do conserto da bike.

      Se você estava na mão correta, ele não tem argumento nenhum. Poderia ter te matado, te derrubando na frente de outro carro que estivesse passando ali naquele momento.

      Thumb up 3 Thumb down 0

  • Ana Carolina

    Ja vi um caso bem tenso tamb’em. Estava a pe e uma moca, andando de bike na rua, que ‘e uma principal bem movimentada, levou uma portada de um carro, caiu no meio da rua, estirada la. De repente ela suspendeu a cabeca, bem na hora que passou um caminhao atras dela. Se ela nao tivesse levantado juro que veria seus miolos na rua.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Ande sempre com um squeeze cheio de aguá,e manda no carro kkkkkkkk.

    Thumb up 0 Thumb down 1

  • Osvaldo

    [Comentário oculto devido a baixa votação. Clique para ler.]

    Esse comentário não tem feito muito sucesso. Thumb up 1 Thumb down 7

    • Osvaldo, o mesmo artigo que diz, em seu parágrafo único, que o desembarque deve ser realizado pelo lado da calçada, afirma que “o condutor e os passageiros não deverão abrir a porta do veículo, deixá-la aberta ou descer do veículo sem antes se certificarem de que isso não constitui perigo para eles e para outros usuários da via”. Portanto, foi descuido da sua esposa, me desculpe. Talvez se você tivesse encostado o carro junto ao meio-fio para que ela descesse…

      Mas a situação que você indicou é realmente importante. É preciso estar atento a portas que se abrem pelo lado direito, sem aviso. Nem sempre quem está no banco do passageiro/carona tem o mesmo cuidado ao abrir a porta do que quem está acostumado a dirigir.

      Comentário bem votado! Thumb up 8 Thumb down 0

      • Deh

        Acabei encontrando o site porque acabo de passar por essa situação. Estava do lado do passageiro e abri a porta do carro descuidadamente, o trânsito estava parado e eu fui tentar “descer rapidinho” e acabei fazendo besteira; assim como a esposa do Osvaldo. Parei para prestar socorro para o ciclista, que, felizmente, tinha freiado e não chegou a cair. O aro da bicicleta foi danificada e nós pagamos o conserto e também nos oferecemos para levá-lo para onde ele quisesse (ele preferiu esperar o conserto na bicicletaria). A bicicleta dele era muito antiga e não conseguímos achar as peças originais, mas pagamos por um aro adequado e de boa qualidade.
        Encontrei o site porque queria saber se há mais alguma coisa que poderia / deveria fazer no caso. Nós resolvemos tudo no local e tentamos ajudar o ciclista como possível – já que o erro foi meu, mas não sei se teria de ter registrado boletim de ocorrência ou algo do tipo.

        Comentário bem votado! Thumb up 6 Thumb down 0

        • Deh, em primeiro lugar parabéns pela sua atitude, é um exemplo! Sobre o BO, não é obrigatório, ainda mais não havendo vítima (isto é, não houve ferimentos em ninguém). Se a sua preocupação é o ciclista ter feito um e depois lhe pedir algum tipo de indenização (que você já prestou voluntariamente), sua segurança são comprovantes de que pagou pelo prejuízo, como notas fiscais.

          Thumb up 3 Thumb down 0

  • [...] o maior problema ainda não foi citado. As portas. Quando um carro estaciona, o motorista não tem a prática de olhar para trás e ver se alguém [...]

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Toni

    Comigo aconteceu. Vinha numa reta, numa pista lateral, à média velocidade e o carro estava parado. De repente a porta abriu e fui pro chão com um corte enorme no braço, deve ter sido a ponta da porta ou o retrovisor, até hoje não sei bem. No carro estavam o motorista, mulher e dois filhos pequenos. As crianças ficaram impressionadas com o sangue. Isso foi em frente a uma concessionária da Volkswagen. O motorista deixou a família lá e me levou a um hospital próximo e fui logo atendido. Enquanto eu estava recebendo a sutura ele me disse que voltaria lá pra falar com a família e retornaria em seguida. Pensei com meus botões que ele não voltaria e fosse dar no pé. Mas ele voltou e me levou de volta ao local do acidente. Eu nem sabia do paradeiro da minha bike, já que na hora só me preocupei com meu braço. Pra minha surpresa o pessoal da concessionária guardou minha bike e o motorista se prontificou a me levar em casa, já que eu não tinha mais condições de voltar pedalando. Esse local é bem longe da minha casa. Eu achei que esse motorista fez o que devia fazer, ou seja, me socorreu. Não tenho nada a reclamar da atitude dele. Eu também tive um pouco de culpa nisso, pois passei muito perto do carro. Agora carrego uma cicatriz pra nunca mais esquecer disso e ficar sempre esperto. Mas lembrando que todo cuidado ainda é pouco.

    Comentário bem votado! Thumb up 7 Thumb down 0

    • Que legal essa história, Toni. Obrigado por compartilhá-la aqui. Há pessoas ruins e pessoas boas em qualquer veículo, seja um carro, uma bicicleta ou um trator.

      Eu também já levei uma portada e prometi para mim que seria primeira e única. Como o joelho amorteceu a queda, fiquei sem conseguir andar direito por mais de uma semana, mas não houve nada mais grave.

      Quanto ao corte, certamente foi a ponta da porta. Alguns veículos tem a quina superior da porta pontuda, por uma questão de design. Fica bonito, mas é um perigo em uma situação como essa. Conheci um ciclista que tinha uma cicatriz enorme no peito, onde a quina da porta do carro lhe havia cortado.

      Thumb up 1 Thumb down 0

  • roberto biker

    por pouco tinha acontecido comigo,estava eu indo no meu trabalho estava embalado mais nao muito talvez seja por isso que nao aconteeu o pior, estava indo quando derrepente um senhor abre a porta com tudo do seu carro,so deu tempo de freiar parei bem em cima dele, ele chegou a me iguinorar mais eu disse a ele se ele nao tinha noçao do que ele fez porque poderia ter acontecido uma trajedia se eu viesse com mais velocidade, ele nem respondeu dai eu disse pra ele que nao e porque eu estava de bicicleta que eu seria inferior a ele minha vida tinha valor assim como a dele e que da proxima vez ele olhace pro retrovisor antes de abrir a porta, bom deichei ele la pensando no que fez e fui embora.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • everaldo

    já levei uma portada! estava indo para casa de minha irmã.quando de repente alguém abriu uma porta. fiquei cambaleando e quase cai mas fiquei com dor na perna ele perguntou se aconteceu algo disse que estava bem. E levei outra. dai disse pro outro: e se fosse um caminhão!!! e esse pessoal não cuida mesmo e se for outro carro arranca a porta deles! agora quando me aproximo de um carro já vou diminuindo.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Marco Labão

    Não fui “premiado” até hoje com uma dessas mas, por ter adotado a muitos anos uma estratégia que se mostrou muito boa: Ando o mais afastado possível dos carros e quando estou próximo mentalizo que se uma porta se abrir, viro o guidão para dentro do carro! As portas SÃO MAIS MACIAS QUE O CHÃO e caso o monstrorista saia rápido, ajuda a amortecer ainda mais o impacto. Desviar da porta só nos faz cair no meio da rua com qualquer leve toque na porta.

    Thumb up 3 Thumb down 2

  • silvia

    a primeira portada a gente nunca esquece…Segunda-feira estava subindo uma ladeira em direção ao trabalho, obviamente em ritmo lento, e um motorista abriu a porta no meu joelho! Se estivesse no plano em maior velocidade, com certeza teria me derrubado. Perguntei pra quê ele tinha espelho retrovisor, e ele teve a ousadia de me perguntar se eu eu não tinha visto que ele ia abrir a porta….afff

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • Renata

    Em Barcelona eu estava pedalando com um bike alugada sábado à noite. Já havia passado mais de uma hora que eu devia ter devolvido ela, então fui com pressa, mas a avenida principal estava o CAOS. E de repente, alguém sai do taxi. Desviei e a porta pegou na minha coxa, e realmente agradeço por não ter acertado a bike senão não teria dinheiro para terminar a viagem. Ficou um roxo enorme, mas a dor foi só na hora….e não, não tinha ciclovia ali.

    Thumb up 3 Thumb down 0

  • GERSON LUIS

    Já levei uma portada na cara. Estava eu o meu brother Salviano passeando pela zona norte de Teresina, quando um cara abriu a porta entre eu e ele e como estava atras sobrou para mim. tive um pequeno corte no ombro e mais nada. O dono do carro pediu desculpas pelo acontecido. Fique puto mas pedi somente que prestasse mais atenção….hehehehe…doeu u m pouco, não vou mentir

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Ricardo

    Ahh! cuidado especial com os Ford Ka e outros carros 2 portas. As portas deles são muito compridas e abrem muito para os lados.

    Comentário bem votado! Thumb up 8 Thumb down 0

  • Ricardo

    Já aconteceu um caso desses comigo e por pouco eu não perdi a vida. Era garoto, uns 15 anos, ainda não sabia o risco de andar perto dos carros Estava eu descendo uma rua em sua parte plana mas vindo de uma descida bem íngreme e em alta velocidade quando uma mulher abriu a porta do carro. Só deu tempo de ver a ponta da porta chegando no meu pé no pedal. Não sei se por sorte ou por azar a mulher não teve tempo de abrir totalmente a porta. Se tivesse eu teria me estabacado contra a porta e provavelmente levado-a junto, mas o que aconteceu foi que meu pé bateu contra a porta e eu VOEI cruzando uma larga avenida (Sezefredo Fagundes – ZN) e caí rolando na pista contrária até bater contra um ônibus que, por Deus, estava parado em um ponto. A avenida parou, o motorista desceu. Meu pé ficou um pouco machucado e meu pedal desapareceu. Só sobrou o eixo do pedal… e bem torto. A mulher se ofereceu pra me levar à farmácia..rs.. Eu neguei, um pouco bravo no começo mas, no fundo, sentindo que eu também estava errado, pois sou eu quem devo zelar pela minha própria vida e com aquela atitude de descer em alta velocidade próximo aos carros eu não o estava fazendo. Depois disso tive que ir pedalando uns 8kms até minha casa, sem o pedal, “pedalando” o eixo torto a uns 45º e com o pé machucado. Foi bom… pra não deixar isso acontecer novamente. Hoje, com 31 anos, eu não sefreria tão poucos machucados se acontecesse novamente. Não podemos esperar atitudes conscientes dos outros, os outros são muitos e não há como serem todos bem informados. Abraços!

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • André Mezabarba

    Já tomei muitos sustos (mas escapei de todas as “portadas” que levei até hoje).

    O que me impressiona é o fato dos motoristas parecerem estar com raiva e abrirem as portas de forma até um pouco agressiva, muitos sem olhar direito.

    O mais absurdo que vejo de vez em quando é passageiro descendo de carro que NÃO está parado junto ao passeio, descendo no “corredor”, onde corre um sério risco de serem atingidos por motos e até mesmo por ciclistas (acontece muito em semáforos, e ambos os lados do carro).

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • Não sei o que passa na cabeça destes motoristas, um dia indo para casa, passando por uma rua movimentada, encontrei um caminhão com a porta do motorista totalmente aberta (não, o motoristas não estava dentro do caminhão) e voltada para a rua, ao passar consegui fechá-la e ainda continuar pedalando. Se eu não fecho tinha certeza que a porta ia causar dor de cabeça para os demais motoristas, pois o caminhão + a porta 100% aberta estava quase ocupando toda a faixa e sendo assim os demais motoristas tinha que entrar na contra mão para seguir viagem.

    Thumb up 3 Thumb down 0

  • edson

    o artigo nº 49 do código de trânsito braseilo diz ” Art. 49. O condutor e os passageiros não deverão abrir a porta do veículo, deixá-la aberta ou descer do veículo sem antes se certificarem de que isso não constitui perigo para eles e para outros usuários da via.” Portanto se motorista não se manifestar para cumprir os prejuízo é possível mover ação indenizatória.

    Comentário bem votado! Thumb up 9 Thumb down 0

  • Escapei de uma outro dia. Foi a segunda da minha vida. Assim como os motoristas aprendem a olhar antes de abrir a porta, a gente também aprende a andar em uma distância maior dos carros estacionados, mesmo que isso às vezes incomode os apressadinhos que vem atrás. Para estes eu já respondi: “colega, olhe ao redor… se não tivesse essa linha de carros estacionados no canto da rua, eu poderia estar mais perto da guia”. E segue o bonde!

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • Sofri do mesmo acidenten Willian e compartilho da mesma opinião.

    Só que no meu caso o motorista não queria pagar (era na verdade manobrista de um famoso salão de beleza), ameacei entrar no salão e falar com a gerente….resultado ? bicicleta paga por ele e toda vez que passo lá ele lembra de mim, e com toda certeza não faz mais a mesma coisa.

    Acontece! Segue a vida!
    Abraço e vai tomando cuidado! hehe

    Comentário bem votado! Thumb up 5 Thumb down 0

Enviar resposta

  

  

  

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>